Entenda quais são os principais tipos de Psicologia

tipos-de-psicologia

Existem vários tipos de psicologia, da mesma maneira como muitas outras áreas também possuem modalidades diversas e linhas de estudos inúmeras. Assim, se você sonha em se tornar um psicólogo ou se interessa pela área, precisa conhecer quais são eles.

Cada linha dentro da psicologia aborda a vida e as questões de uma maneira diversa. Dessa forma, elas se diferenciam pela forma como analisam um objeto de estudo, cada um com seu próprio viés.

Esse é um assunto extremamente rico e complexo, de igual maneira como a própria psicologia o é. Então, que tal conhecer um pouco mais sobre os tipos dela? Para isso, basta continuar lendo e ver o manual das áreas que preparamos especialmente para você.

Tipos de Psicologia: Conheça as linhas de estudo

Conforme já apontamos brevemente, cada uma das linhas de estudo da Psicologia possui sua própria abordagem. Em outras palavras, isso significa que cada uma segue uma teoria que compreende a sociedade e os humanos de uma maneira própria.

É por isso, aliás, que muitas vezes alguns tipos de sessões psicológicas podem ser mais ou menos efetivas para o paciente. Afinal, não apenas o profissional encontra a sua linha teórica, como também sempre há uma que se enquadra melhor para quem com eles se consulta.

Por isso, quem deseja se tornar um psicólogo precisa, necessariamente, conhecer cada uma das linhas. Somente assim poderá entender qual se enquadra mais para ele e por onde traçar seu caminho profissional.

Psicanálise

O primeiro dos tipos de psicologia é a psicanálise. Essa linha segue a abordagem de autoria de Sigmund Freud e leva em consideração o inconsciente. Assim, entende que muitas das emoções e comportamentos têm causas desconhecidas.

O desconhecimento delas, então, se deve ao fato de que sua fonte estaria fora do nível de consciência. Portanto, a terapia promovida por essa modalidade leva o paciente a conhecer melhor o inconsciente, levando a autoanálise profunda.

Além disso, nesse, dentre os tipos de psicologia, não há direcionamento. O que ocorre é que o psicanalista conversa com o paciente e levanta questionamentos que levam este último a discorrer sobre assuntos que culminam na associação livre.

Isto é, há estímulo para que o paciente discorde livremente do que quer. Dessa maneira, aqui há muitas intervenções. Por fim, é importante ressaltar que qualquer pessoa pode se tornar um psicanalista. A categoria é quem reconhece um profissional como tal a partir de sessões e cursos.

Humanismo

Já o humanismo se utiliza de várias bases teóricas que têm em comum o conceito de análise do tempo presente. Ou seja, enquanto a psicanálise compreende o presente por meio do passado, aqui analisam-se os dias atuais para entender os que decorreram.

Esse, dentre os tipos de psicologia, chama a atenção de como o indivíduo se sente no presente momento. Aqui, embora também não haja direcionamento massivo, o psicólogo faz algumas interpelações para direcionar a sessão de terapia.

Esse modelo ainda se utiliza de algumas terapias diferentes. Por exemplo, é comum que além da fala aplique atividades que se relacionam com técnicas artísticas e, também, corporais.

Psicologia comportamental

O terceiro entre os tipos de psicologia é o comportamental. Ele também ganha a alcunha de Behaviorismo e se diferencia das anteriores por ser direto. Isso, pois, ele observa o comportamento do paciente, bem como tenta modificar padrões.

Nesse sentido, ele analisa os estímulos humanos que levam a certos comportamentos. Portanto, foca naqueles que podem causar sofrimento ou sentimentos confusos que demandam trabalhos para controle e melhoria da qualidade de vida.

Assim, nesse caso o psicólogo age. Para tanto, propõe atividades caseiras para busca da inteligência emocional. Ainda, busca fazer com que o próprio paciente identifique padrões nocivos que requerem cuidados e mudanças.

Terapia cognitivo-comportamental

Por fim, o último dos tipos de psicologia que trazemos para você se chama terapia cognitivo-comportamental. Ele é, na verdade, uma espécie de modalidade do item anterior, ou seja, da psicologia comportamental.

Nesse caso os estudos somam duas vias. A primeira é a base comportamental. A segunda, por sua vez, corresponde aos conhecimentos neurocientíficos. Portanto, aqui há relação entre as emoções, os comportamentos e os pensamentos.

Isso amplia de sobremaneira a terapia comportamental. Afinal, aqui os pensamentos tem íntima relação com o modo de vida e, igualmente, com as reações emocionais e os sofrimentos que elas propiciam.

Aqui, dessa maneira, não há apenas o direcionamento para modificar comportamentos. Também existem atividades que visam identificar pensamentos que resultem em reações emocionais e, também, químicas.

Por exemplo, considere uma situação de paciente com ansiedade. O psicólogo que faz uso desse dentre os tipos de psicologia atua para identificar pensamentos autodepreciativos e que diminuam a autoestima e, assim, pioram os quadros.

Esse é apenas um exemplo, uma vez que são inúmeros os tipos de pensamentos e suas reações emocionais. Nesse caso, então, estamos diante